sexta-feira, 22 de março de 2013

Religião não estimula cooperação com as pessoas, indica estudo


Pessoas cooperam mais com aqueles que pertencem à sua religião

por Jarbas Aragão




Religião não estimula cooperação com as pessoas, indica estudoReligião não estimula cooperação com as pessoas
A maioria das pessoas religiosas tendem a cooperar ou serem altruístas apenas quando lidam com os que compartilham de sua fé. Eles mantem-se indiferentes quando desconhecem qual é a crença do outro.
Esse foi um dos principais resultados de um estudo divulgado pela Escola de Negócios da Universidade de Nottingham, Inglaterra, que investigou o papel da religião na vida pública. Parte da pesquisa foi financiada pelo governo britânico, que cada vez mais percebe a pluralidade religiosa da população.
A equipe de especialistas em comportamento entrevistou um grupo com diferentes tradições religiosas. Eles também participaram de uma série de simulações que envolviam dar dinheiro e compartilhar com os demais participantes.
Havia voluntários cristãos, hindus, muçulmanos, budistas e não religiosos.  Cada um recebia uma quantidade de dinheiro e tinha de interagir com os demais. Em determinado momento, cada participante era convidado a doar seu dinheiro ou parte dele a outra pessoa. Eles podiam optar em simplesmente não doar.
Depois de um tempo, percebeu-se havia pouca diferença nas demonstrações  de cooperação e generosidade quando as pessoas ignoravam as crenças dos outros e quando sabiam que os participantes tinham uma religião diferente da sua.
Contudo, ao saber que a outra pessoa compartilhava da mesma religião, ficavam nitidamente mais confiantes e generosos. A diferença foi quase três vezes maior quando a “negociação” era de cristãos com cristãos, ou entre muçulmanos.
Uma das conclusões dos pesquisadores é “Embora a religião, sem dúvida, seja importante para o desenvolvimento individual, cultura e percepção política e social exercem uma poderosa influência nas interações com os outros indivíduos. Substantivamente, parece que os valores religiosos têm pouco impacto sobre o comportamento social individual. A economia experimental tem dado uma importante contribuição para garantir esses tipos de conclusão e para o estudo científico da religião em geral”.
O doutor Robert Hoffmann, professor de Economia da Universidade e coautor do estudo, afirmou: “Poderia se imaginar que a caridade inerente em muitos artigos da fé pode ter algum impacto no comportamento cotidiano. Porém, não descobrimos nenhuma evidência disso ao examinar o que acontece quando as pessoas religiosas conscientemente interagem com os que possuem uma fé diferente ou simplesmente não têm fé… De repente, sua religião começou a justificar suas ações. Isso nos leva à conclusão preocupante que, de modo geral, a religião não parece afetar a maneira como as pessoas se inter-relacionam”.
O material da pesquisa foi publicado em forma de artigo e recebeu o nome de “A economia experimental da religião” e pode ser lido (em inglês) aquiCom informações Telegraph.

Nenhum comentário:

Postar um comentário