quinta-feira, 30 de abril de 2015

Matança de animais em sacrifícios religiosos deve continuar no RS





Em meio a protestos, deputados rejeitaram projeto que proíbe sacrifício de animais.


Matança de animais em sacrifícios religiosos deve continuar no RS 



Os deputados do Rio Grande do Sul, estado com maior número de seguidores de religiões afro-brasileiras, rejeitaram o projeto de lei da deputada estadual Regina Becker Fortunati (PDT) que proíbe o uso de animais em sacrifícios religiosos.

Adeptos de umbanda e defensores dos animais lotaram o Teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, para acompanhar a votação na Comissão de Constituição e Justiça que por 11 votos contrários e um a favor foi considerado inconstitucional pela comissão.

A votação do texto teve de ser adiada diversas vezes por conta do cenário de guerra que se instalou na Assembleia. Seguidores de religiões de matriz africana e defensores dos animais discutiam e se atacavam durante a análise do projeto.

De acordo com o jornal Zero Hora, o texto foi votado por volta das 10h15min, e a sessão foi transmitida no telão do teatro, enquanto defensores de animais com apitos, balões e rostos pintados de vermelho, simbolizando o sangue dos animais tentavam impedir que os deputados seguissem com a votação.

Durante discurso favorável ao uso de animais em rituais religiosos o deputado Luiz Fernando Mainardi (PT) foi chamado de bandido e assassino por opositores a prática. O  projeto apresentado pela deputada do PDT pretendia excluir o Artigo 2 do Código Estadual de Proteção aos Animais de 2003 que autoriza o abate de animais nos rituais de religiões de matriz africana.


Menor Bíblia do mundo é exposta em Jerusalém


Menor Bíblia do mundo é exposta em Jerusalém
O exemplar só pode ser lido se as letras forem ampliadas no mínimo dez mil vezes 

O Museu de Israel em Jerusalém está expondo o menor exemplar da Bíblia que já existiu. Trata-se da chamada nano-Bíblia, uma cópia do Livro Sagrado que foi esculpida em um chip envolto em ouro.
A nano-Bíblia tem o tamanho da cabeça de um alfinete e seus 1,2 milhão de caracteres foram “escritos” com raios de íon por engenheiros do Technion (Instituto Israelense de Tecnologia), em Haifa.
Para ler essa Bíblia hebraica é preciso ampliar as letras em pelo menos dez mil vezes, segundo Adolfo Roitman, um dos curadores do museu. A exibição da nano-Bíblia faz parte da comemoração do 50º aniversário do museu.
A menor versão do livro religioso no mundo é exibida na mesma área do museu onde se encontra os Manuscritos do Mar Morto. O espaço é chamado de Templo do Livro e expõe as mais antigas bíblias já encontradas no mundo.



quarta-feira, 29 de abril de 2015

Estou indo para o Céu? Saiba o que o Brasileiro executado falou



Rodrigo Muxfeldt Gularte estava sereno nas horas que antecederam sua execução na Indonésia na tarde desta terça-feira (28), horário de Brasília. Ele alternou momentos de lucidez e delírio e disse que dali iria para o céu, disse um diplomata brasileiro que o viu pela última vez.
O paranaense, de 42 anos, foi executado na prisão de Nusakambangan. Familiares tentavam convencer autoridades a rever sua pena e transferi-lo para um hospital após ele ter sido diagnosticado com esquizofrenia.  Gularte havia sido preso em 2004 no aeroporto de Jacarta com 6kg de cocaína escondidos em pranchas de surfe, e condenado à morte no ano seguinte. Parentes dizem que ele foi aliciado por traficantes internacionais devido ao seu estado mental.

"Daqui irei para o céu e ficarei na porta esperando por vocês", declarou Gularte no encontro final, disse à BBC Brasil o encarregado de negócios do Brasil em Jacarta, Leonardo Carvalho Monteiro, maior autoridade brasileira na Indonésia. Monteiro acompanhou os disparos da execução à distância, ao lado de Angelita Muxfeldt, prima de Gularte. O fuzilamento ocorreu por volta de 0h25 (horário local, 14h25 em Brasília), disse ele.
 "Foram vários tiros fortes e ao mesmo tempo".


O corpo será levado ao Brasil, onde será enterrado. Angelita foi a última familiar a ver Gularte, à tarde (horário local). Ela foi para a Indonésia em fevereiro para tentar reverter a execução do brasileiro. Visitava-o regularmente, duas vezes por semana, e disse que, neste tempo, nunca tinha o visto tão calmo. "Ele não queria que eu chorasse", disse ela a jornalistas, emocionada, após deixar a prisão.


O aviso das execuções foi feito no sábado. Desde então, familiares tiveram permissão para visitar diariamente os presos. Nestes encontros, Gularte fez discursos "delirantes", expressando confiança de que não seria executado, disse o diplomata brasileiro. Ele citou o desenho Aladdin ao rejeitar fazer seus desejos finais, disse o advogado Ricky Gunawan, que assumiu o caso em março.

O último contato com a mãe foi por telefone na segunda-feira, segundo Gunawan. Clarisse, de 70 anos, havia visitado o filho em fevereiro e retornou no Brasil. Na ligação, de 20 minutos, ele conversou também com a irmã. Gularte é o segundo brasileiro a ser executado na Indonésia. Em janeiro, o carioca Marco Archer Cardoso Moreira foi fuzilado, também condenado à morte por tráfico de drogas.

Tom mórbido
Durante todo o dia, no porto em Cilacap, que dá acesso à Nusakambangan, dezenas de jornalistas e populares aguardavam por familiares e diplomatas que deixavam a prisão.

Parentes faziam pedidos emocionados por clemência. A irmã de um dos condenados australianos chegou a desmaiar. Ambulâncias que carregavam caixões entrando na prisão contribuíram com o tom mórbido do caso.

A família nutria esperanças de uma reviravolta final no caso de Gularte, tida como improvável. Antes da execução, a Justiça indonésia havia ignorado recurso da defesa que pedia revisão da decisão do presidente, Joko Widodo, de negar-lhe clemência, disse o advogado.

Outra tentativa de reverter a sentença - o pedido de transferência da guarda de Gularte para sua prima - teve audiência marcada para o dia 6 de maio, depois da execução, o que foi criticado pela defesa do brasileiro. Outros sete prisioneiros foram executados por fuzilamento junto com Gularte - dois da Austrália, três nigerianos, um ganense e um indonésio. Uma condenada filipina foi poupada de última hora.

As execuções foram realizadas apesar de pressão dos países dos condenados, da Organização das Nações Unidas e de grupos de direitos humanos.

Widodo justificou as execuções - que têm apoio popular na Indonésia - dizendo que o país está em situação de "emergência" devido às drogas. Segundo ele, 33 indonésios morrem todos os dias em consequência de narcóticos.

Fonte: www.bol.com.br


DEIXE SUA OPINIÃO NOS COMENTÁRIOS!


Ateus criam igreja para adorar ao “deus Bacon”


Bacon é um dos alimentos preferidos dos americanos, tanto é que foi criada a Igreja Unida do Bacon, onde ateus veneram o pedaço de carne. Segundo a instituição há pelo menos 4.000 seguidores da igreja em todo o mundo, tendo como sede um espaço localizado em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Ateus criam igreja para adorar ao “deus Bacon”A Igreja Unida do Bacon foi criada em 2010 e está devidamente legalizada, seus fundadores são os ateus John Whiteside e Johnny Monsarrat que se apresentam como Profeta Bacon e líder da Doutrina Bacon, respectivamente.
Os frequentadores dessa associação adoram ao deus Bacon e comparam o pedaço de carne com a hóstia da igreja católica dizendo que ela é mais real que o produto feito com farinha e água.
Eles imitam o cristianismo apresentando 9 Bacon Mandamentos e afirmam que a ideia era ter 10 mandamentos, porém faltou espaço nas tábuas para escrever o último deles.
Entre eles encontramos “seja ético” e “seja bom”, “divirta-se”. Outro mandamento pede para que os fiéis do bacon lutem contra a discriminação aos ateus.
Para se mostrarem superiores, eles não aceitam doações – uma crítica ao dízimo arrecadado nas igrejas – pedindo apenas que seus fiéis contribuam com algumas instituições de caridade que os líderes da Igreja Unida do Bacon recomendam.
Outra forma de se mostrarem melhores que os cristãos, como se fosse uma guerra para provar quem tem ética e quem não tem, os líderes não cobram para celebrar casamentos e aceitam todas as pessoas, sem discriminação.

terça-feira, 28 de abril de 2015

“Malafaia é a cara do Brasil”, diz colunista da Globo, criticando o movimento conservador




A repercussão da participação de Silas Malafaia no programa Na Moral, na última quinta-feira, 23 de abril, continua, e o pastor foi definido por um jornalista e escritor como “a cara” do Brasil.

“Malafaia é a cara do Brasil”, diz colunista da Globo, criticando o movimento conservadorNo programa, Malafaia contrapôs as bandeiras do ativismo gay, rebatendo a pecha de homofobia atribuída aos evangélicos e defendendo seus pontos de vista a respeito da questão e seu impacto na sociedade.

Para Dodô Azevedo, colunista do G1, o pensamento do pastor Malafaia é o pensamento da maioria dos cidadãos brasileiros.
“Houve uma época que a cara do brasileiro era o papagaio Zé Carioca, noutra o Grande Otelo Macunaíma, noutra o jogador de futebol de drible fácil, noutra a Gisele Bündchen. Hoje, a cara do brasileiro, de seu povo e cultura contemporânea, é a cara do pastor inflamado no programa de Pedro Bial; líder de uma na verdade maioria, respaldado pelo povo nas esquinas e nas ruas”, escreveu Azevedo. Para o colunista, há a necessidade dos brasileiros de fazer uma leitura correta do atual quadro social. No entanto, em seu texto, Azevedo não foge do lugar comum da maioria dos formadores de opinião e classifica, de forma indireta, as pessoas de pensamento conservador como intolerantes.
“Todo mundo cai nessa: a verdadeira maioria conservadora achando que é uma minoria, e nós, a verdadeira minoria tolerante crente que estamos abafando porque há beijo gay na TV. Enquanto continuarmos nos enganando, achando que o Brasil é o país do sujeito liberado e tolerante, de sorriso fácil e simpatia invencível, a reversão a este movimento conservador não começa. Hoje, é fundamental nos assumirmos (eu penso diferente do pastor) como minoria. Isso significa assumir os procedimentos mais incisivos de luta adotados por minorias. Resistência”, pregou azevedo.
Citando a nova formação do Congresso Nacional, eleita em 2014 e descrita como a “mais conservadora da história” por diversos analistas políticos, Azevedo dá a entender que a “maioria endurecida” está conquistando espaço porque os “tolerantes” não agem de forma mais incisiva.
“Por enquanto, vivemos nós, esta minoria, um tanto na soberba, um tanto alienados em nossas ilhas tolerantes, ignorando todo este continente conservador. Por ignorarmos, deixamos este continente crescer e multiplicar-se biblicamente. Há algo obscuro que precisa encontrar resistência. Penso que, infelizmente, só vai cair a ficha de nossa minoria quando sofrermos uma autocracia religiosa completa: com um líder religioso na Presidência da República”, opinou.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Sexo Entre Jovens: Coando o Mosquito e Engolindo o Tiranossauro


Fonte: http://www.genizahvirtual.com/2015/04/sexo-entre-jovens-coando-o-mosquito-e.html
Por Carlos Moreira

Pastor, sexo antes do casamento é pecado?”. Se você é um clérigo ou um líder, esta é uma das perguntas que você mais ouve quando está no meio de jovens. Obviamente, a grande maioria responde: “sim, é pecado”. E eu, o que penso sobre o tema? Bem...
Eu penso que a igreja trata a questão como se ela não existisse, quase com desdém. O “problema” só se materializa quando aquele casalzinho que senta lá no canto, acompanhado ou não da família, nos procura no gabinete pastoral para informar-nos que, em 9 meses, teremos mais um membro para ser batizado na família de Deus! Aleluia!...
A verdade é que a igreja, normalmente, faz vista grossa para essa questão. O casal está ali, juntinho, namorando e, se não der bobeira, se transar com camisinha, se fizer tudo direitinho, não vai ser muito incomodado pela ortodoxia doutrinária vigente. Aqui, ali, terá de ouvir coisas do tipo: “fornicação é pecado”; “quem transar antes de casar perde a benção de Deus”; “masturbação entristece o Espírito”; e por aí vai... Ora, isso tudo, com um pouco de cinismo e cara de pau, dá para ir levando. Dá?...
Agora, quando a “bomba” explode, e o bebê está a caminho, aí a coisa muda de figura, pois todo mundo fica furioso, sobretudo a “fariseada”. Engravidou, tem que casar! Será?... O casalzinho, coitado, será exposto aos extremos, execrado, em alguns casos, ficará afastado temporariamente da Ceia, ou, em outros, submetido a uma “disciplina” maluca qualquer. Quase certamente, sofrerá muito mais do que seria preciso, contudo se tornará um “exemplo” para todos!
Ora, em tais situações, as conseqüências, obviamente, virão em curtíssimo prazo, pois, sem apoio da comunidade, sem orientação e, em muitas situações, sem a ajuda da própria família, o jovem casal, sem qualquer preparo para a vida conjugal, estará separado em 1 ou 2 anos no máximo. Estou, neste momento, com um caso deste na igreja, herdado de outra “comunidade”...
Quer falar sério sobre o tema? Quer tratar a situação com coragem? Então vamos às Escrituras. Qual o padrão bíblico para casamento? Vou simplificar: deixar pai e mãe, ou seja, possuir capacidade de romper os vínculos emocionais e financeiros com a família; voto público, que é assumir para a sociedade, seja pela via do casamento civil ou do religioso, que os dois passam a constituir uma família, com todas as implicações vigentes; e, finalmente, manter relação sexual.
Nos dias de Isaque e Rebeca a coisa era assim, muito simples. O garoto começava a se coçar demais, olhava as cabras de forma estranha, e aí o Pai, macaco-velho, dizia: “este menino está precisando casar”. Arrumava-se uma noiva, da parentela mesmo ou da vizinhança, desde que fosse da mesma fé, o pai doava ao filho um pedaço de terra, meia dúzia de cabras, uma vaca leiteira e pronto! O sujeito entrava na cabana com sua “gazela” e estava tudo consumado. Que benção!
E como é hoje? O menino e a menina chegam aos 15, 16, 17 anos e começam a namorar.  Estão terminando o ensino médio e ainda terão pela frente o vestibular e 4 ou 5 anos de faculdade.  Vencida esta etapa precisarão trabalhar, conseguir um bom emprego. Em seguida, vão comprar um carro legal, depois o apartamento financiado e, só então, poderão pensar em se casar. E olha que eu estou falando de jovens cristãos sérios, que começaram a namorar com o propósito de, um dia, se casarem. Mas, convenhamos, eles são à exceção da exceção da exceção!
Ora, eu sei, por experiência, que a grande maioria da meninada quer é curtir a vida, “ficar” bem muito ao invés de namorar, que dá muito mais trabalho, transar o tanto que puder, pois muitas relações darão mais experiência – trágico equívoco – e, só quando se estiver chegando na casa dos 30 é que começarão a desacelerar o “motor” para pensar em constituir algo sério, ou seja, casar.
Agora, uma questão: pensando no primeiro exemplo, o do jovem casal cristão sério, que começou a namorar cedinho, o que eles farão para segurar os hormônios nesta sociedade erotizada na qual vivemos, onde propaganda de pneu tem mulher pelada? Me responda mesmo: dos 15 até chegarem aos 30 anos, quando estarão em condições, dentro dos padrões estabelecidos em nossa cultura, para se casar, como eles lidarão com estas questões? Vão jejuar e orar? Ora meu mano, faça-me o favor... Você fez isso?
Aí vem a igreja, e seus ilustres representantes, naquela santidade medieval, e diz para o casalzinho: “olha, vocês devem se guardar um para o outro. Sexo antes do casamento é pecado, viu?”. E fica a meninada com a pulha na cabeça: transar ou não transar, eis a questão! E ainda tem umas almas sebosas que dizem: “quem estiver abrasado, então que se case”. Ótima solução! Quero eu lhe dizer que o sujeito não está abrasado não, ele está em chamas já há muito tempo! Isso é que é fogo!
Na verdade, em determinadas circunstâncias, só existem dois caminhos: como pastor, sei o que estou afirmando: ou o cara deixa a namorada “em paz” e vai para a internet ver sacanagem de todo tipo e, como o pecado só se aprofunda, pois “um abismo chama outro abismo”, mas cedo ou mais tarde ele estará com prostitutas em sua cama, ou vai transar com a “irmãzinha” e ficarão os dois num complexo de culpa sem fim, pois recairá sobre eles toda a ortodoxia protestante dogmática e fundamentalista pregada e inoculada em suas mentes durante anos. Estou exagerando?!
Alegre-se, jovem, na sua mocidade! Seja feliz o seu coração nos dias da sua juventude! Siga por onde seu coração mandar, até onde a sua vista alcançar; mas saiba que por todas essas coisas Deus o trará a julgamento”. Ec. 11:9.
Estou eu aqui aconselhando os casais de namorados a transar? Não coloquem palavras em minha boca! Sou defensor de uma teologia liberal e por isso não levo em consideração os preceitos de santidade das Escrituras? Vocês não me conhecem para afirmar isto. Então, o que estou querendo dizer, afinal? Duas coisas: discernirmos o tempo em que vivemos, com todas as suas idiossincrasias, e investirmos na formação de uma geração que tenha uma consciência compatível com o Espírito do Evangelho. O mais, queira me desculpar, é tapar o sol com a peneira, é tratar da conseqüência, e não da causa, é jogar o “lixo” para debaixo do tapete.
 
O texto de Eclesiastes nos dá uma dica do que podemos fazer! Ensinar os jovens! Podemos dizer-lhes “façam suas escolhas, tracem seus caminhos, sigam suas rotas, construam seus mapas, aproveitem a vida! Mas saibam: tudo na existência humana tem conseqüência, pois há um princípio bíblico que afirma que aquilo que o homem semear, isto também ceifará”. Fato é que Deus criou o sexo e o casamento com um propósito e, só imersos em Sua vontade, nos realizaremos em nossa sexualidade e conjugalidade.
Olha moçada, namorar com 10, 20, 30 pessoas diluirá sua alma, banalizará em seu coração o significado de relacionamento, tornará o sexo coisa trivial e não aquilo para o qual ele foi concebido. Você perderá todas as referências sobre lealdade, amizade, cumplicidade e, dificilmente, será capaz de construir uma família sadia, um casamento bem sucedido, uma relação para toda a vida, pois a frase “que seja eterno enquanto dure”, fica linda do ponto de vista da poesia, mas, existencialmente falando, é um desastre sem precedentes. 

Sei que este é um tema que ninguém quer tratar, ou escrever, pois é “nitroglicerina” pura! Almocei hoje com um amigo que me disse: “tu vais mexer nisso?”. Eis aí um de nossos problemas: evitar lidar com o que está diante de nossos olhos! A igreja, no que diz respeito a estas questões sexuais, e olha que eu estou só levantando a ponta do iceberg, prefere coar o mosquito e engolir o tiranossauro rex, é viver no “faz de conta”.

Se eu tenho a solução? Ora, isso é um problema que cada um deve lidar, pois cada um construirá na terra seu caminho com Deus e isso conforme sua própria consciência. Fico impressionado como crente gosta de fórmulas feitas para resolver suas questiúnculas. Agora, quanto a mim, perdoem-me a sinceridade, prefiro engolir o mosquito e, de preferência, com Coca-Cola.