domingo, 30 de agosto de 2015

Pesquisa revela por que as pessoas abandonam a Igreja


Pesquisa revela por que as pessoas abandonam a IgrejaUma nova pesquisa revela que 31% da população adulta dos EUA, cerca de 65 milhões de pessoas, embora já tenham frequentado regularmente uma igreja, acabaram saindo. Este número é aproximadamente igual ao de pessoas que ainda pertencem a uma igreja local.
O estudo também constatou que mais de 10% dos adultos que frequentam igreja estão pensando em sair.
As cinco principais razões que as pessoas deram para justificar sua saída são:
– A igreja é muito crítica.
– A burocracia da igreja é ‘sufocante’.
– Não gostam do estilo da pregação (como palestra).
– A igreja não era o local onde se encontram com Deus.
– A igreja tomou uma posição política que discordavam.

A pesquisa foi conduzida pelo Dr. Josh Packard, diretor do Laboratório de Pesquisa Social da University of Northern Colorado, com a finalidade de compreender o tamanho, a composição e as motivações dos evangélicos.
As descobertas de Packard estão resumidas num relatório recém-lançado com o nome “Êxodo dos religiosos cansados”. Packard também escreveu sobre essas tendências em seu livro “Refugiados da Igreja: Sociólogos revelam por que as pessoas abandonam a igreja, mas não a fé”.
De acordo com a Packard, “As pessoas que estão deixando a igreja aos montes não são apenas cristãos que decidiram sair por capricho. Durante algum tempo estiveram envolvidos, inclusive em posições de liderança. Mas quando eles saem, seus relacionamentos se revelam difíceis de substituir “. Com informações de Charisma News

sábado, 29 de agosto de 2015

Igrejas e templos contratam seguranças para evitar assaltos

Igrejas e templos contratam seguranças para evitar assaltos
A violência no país não tem poupado nem mesmo igrejas e templos religiosos e para tentar evitar assaltos algumas instituições estão instalando câmeras e contratando seguranças armados para se protegerem.
Uma reportagem do jornal Bom Dia Brasil destacou a atitude de algumas igrejas. Em São Luís (Maranhão), por exemplo, os seguranças armados tentam impedir os furtos de carros. Em Franca (interior de São Paulo) contratar vigilantes também foi a melhor opção.
Em Alagoas a igreja católica resolveu proteger não apenas o templo, mas também a casa onde os padres vivem, pois, o local já foi alvo de assaltantes. “Eu saí e me deparei com dois indivíduos um com a arma apontada para a cabeça do meu irmão e a outro apontou a arma para a minha cabeça”, conta o padre Guilherme Villela.
Em Goiânia os roubos acontecem até durante as missas, o fiel que não tomar cuidado acaba sendo assaltado durante as preces. Câmeras de segurança mostram esses furtos e as imagens são enviadas para a polícia. Com informações G1

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Astrofísica relata a história de seu abandono ao ateísmo e conversão a Jesus Cristo

Astrofísica relata a história de seu abandono ao ateísmo e conversão a Jesus CristoSarah Salviander, pesquisadora do Departamento de Astronomia da Universidade do Texas e professora de Astrofísica na Universidade Southwestern, cresceu numa família ateia e ao longo de sua juventude, nutriu preconceitos sobre a fé em geral e o cristianismo.
Mas, ao longo da vida, os estudos sobre o universo e as oportunidades de se relacionar com pessoas que seguiam a Jesus Cristo mostrou a ela que seus pontos de vista haviam sido construídos a partir de experiências limitadas.
De acordo com o site Aleteia, a conversão a Cristo de Sarah Salviander teve seu momento decisivo quando ela precisou lidar com a morte de sua filha ainda bebê.
“Eu nasci nos Estados Unidos e fui criada no Canadá. Meus pais eram ateus, embora preferissem se definir como ‘agnósticos’. Eles eram carinhosos e mantinham uma ótima conduta moral, mas a religião não teve papel nenhum na minha infância […] O Canadá já era um país pós-cristão. Olhando em retrospectiva, é incrível que, nos primeiros 25 anos da minha vida, eu só conheci três pessoas que se identificaram como cristãs. A minha visão do cristianismo era intensamente negativa. Hoje, olhando para trás, eu percebo que foi uma absorção inconsciente dessa hostilidade geral que existe no Canadá e na Europa em relação ao cristianismo. Eu não sabia nada do cristianismo, mas achava que ele tornava as pessoas fracas e tolas, filosoficamente banais”, resumiu a astrofísica.
Aos 25 anos, quando ela se interessava pela filosofia racionalista de Ayn Rand, ingressou em uma universidade e encontrou seu primeiro conflito: “Entrei no curso de Física da Eastern Oregon University e percebi logo a secura e a esterilidade do objetivismo racionalista, incapaz de responder às grandes questões: ‘qual é o propósito da vida? De onde foi que viemos? Por que estamos aqui? O que acontece quando morremos?’ Eu notei também que esse racionalismo sofria de uma incoerência interna: toda a sua atenção se volta para a verdade objetiva, mas sem apresentar uma fonte para a verdade. E, embora se dissessem focados em desfrutar a vida, os objetivistas racionalistas não pareciam sentir alegria alguma. Pelo contrário: estavam ferozmente preocupados em se manter independentes de qualquer pressão externa”, contou.
“Entrei nos clubes universitários, comecei a fazer amigos, e, pela primeira vez na minha vida, conheci cristãos. Eles não eram como os racionalistas: eram alegres, felizes e inteligentes, muito inteligentes. Fiquei de boca aberta ao descobrir que os meus professores de física, a quem eu admirava muito, eram cristãos. O exemplo pessoal deles começou a me influenciar e eu me via cada vez menos hostil ao cristianismo. No verão, depois do meu segundo ano, participei de um estágio de pesquisa na Universidade da Califórnia, num grupo do Centro de Astrofísica e Ciências Espaciais que estudava as evidências do Big Bang. Era incrível procurar a resposta para a pergunta sobre o nascimento do Universo. Aquilo me fez pensar na observação de Einstein de que a coisa mais incompreensível a respeito do mundo é que o mundo é compreensível. Foi aí que eu comecei a perceber uma ordem subjacente ao universo. Sem saber, ia despertando em mim o que Salmo 19 diz com tanta clareza: ‘Os céus proclamam a glória de Deus; o firmamento anuncia a obra das suas mãos’”, relembrou Salviander.

Seu testemunho, nessa fase, é marcado pela busca de respostas mais satisfatórias e a descoberta de que a fé não é um desapego à realidade: “Comecei a perceber que o conceito de Deus e da religião não eram tão filosoficamente banais como eu pensava que fossem. Durante o meu último ano, conheci um estudante finlandês de ciências da computação. Um homem de força, honra e profunda integridade, que, assim como eu, tinha crescido como ateu num país laico, mas que acabou abraçando Jesus Cristo como o seu Salvador pessoal, aos 20 anos de idade, graças a uma experiência particular muito intensa. Nós nos apaixonamos e nos casamos. De alguma forma, mesmo não sendo religiosa, eu achava reconfortante me casar com um cristão. Terminei a minha formação em física e matemática naquele mesmo ano e, pouco tempo depois, comecei a dar aulas de astrofísica na Universidade do Texas em Austin”.
A essa altura da vida, Sarah Salviander foi obrigada a aprofundar suas reflexões ainda mais quando tomou contato com o livro “The Science of God” (“A Ciência de Deus”, em tradução do inglês). “Fiquei intrigada com o título e alguma coisa me levou a lê-lo, talvez o anseio por uma conexão mais profunda com Deus. Tudo o que sei é que aquilo que eu li mudou a minha vida para sempre. O Dr. [Gerald] Schroeder é físico do MIT e teólogo. Eu notei então que, incrivelmente, por trás da linguagem metafórica, a Bíblia e a ciência estão em completo acordo. Também li os Evangelhos e achei a pessoa de Jesus Cristo extremamente convincente; me senti como quando Einstein disse que ficou ‘fascinado com a figura luminosa do Nazareno’. Mesmo com tudo isso, apesar de reconhecer a verdade e de estar intelectualmente segura quanto a ela, eu ainda não estava convencida de coração”, contextualizou.
Mais adiante, em seu relato, Sarah Salviander contou como se converteu ao cristianismo, há apenas dois anos. Com a razão já completamente satisfeita sobre as questões filosóficas da fé, ela conta que sua escolha por servir a Cristo aconteceu em um momento que, mesmo com todas as respostas, não podia interferir nos fatos.
“Eu fui diagnosticada com câncer. Não muito tempo depois, meu marido teve meningite e encefalite; ele se curou, felizmente, mas levou certo tempo. A nossa filhinha Ellinor tinha cerca de seis meses quando descobrimos que ela sofria de trissomia 18, uma anomalia cromossômica fatal. Ellinor morreu pouco depois. Foi a perda mais devastadora da nossa vida. Eu caí nas mãos do desespero até que tive, lucidamente, uma visão da nossa filha nos braços amorosos do Pai celestial: foi só então que eu encontrei a paz. Depois de todas essas provações, o meu marido e eu não só ficamos ainda mais unidos, como também mais próximos de Deus. A minha fé já era real. Eu não sei como teria passado por essas provações se tivesse continuado ateia. Quando você tem 20 anos, boa saúde e a família por perto, você se sente imortal. Mas chega um momento em que a sensação de imortalidade evapora e você se vê forçada a enfrentar a inevitabilidade da própria morte e da morte das pessoas mais queridas”, constatou.
Em sua conclusão sobre a fé, a ciência e sua história de vida, Salviander contou que após sua conversão, se deparou com um questionamento e que sua resposta à dúvida proporcionou alívio a um de seus alunos, e que hoje entende o propósito da morte de Jesus, o Cristo.
“Eu amo a minha carreira de astrofísica. Não consigo pensar em nada melhor do que estudar o funcionamento do universo e me dou conta, agora, de que a atração que eu sempre senti pelo espaço não era nada mais do que um intenso desejo de me conectar com Deus. Eu nunca vou me esquecer de um estudante que, pouco tempo depois da minha conversão, me perguntou se era possível ser cientista e acreditar em Deus. Eu disse que sim, claro que sim. Vi que ele ficou visivelmente aliviado. Ele me contou que outro professor tinha respondido que não. Eu me perguntei quantos outros jovens estavam diante de questões semelhantes e decidi, naquela hora, que iria ajudar os que estivessem lutando com esses questionamentos. Eu sei que vai ser uma jornada difícil, mas o significado do sacrifício de Jesus não deixa dúvidas quanto ao que eu tenho que fazer”, finalizou.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Jovem cristão finge ser gay por um ano para entender queixas sobre preconceito e homofobia

Jovem cristão finge ser gay por um ano para entender queixas sobre preconceito e homofobia
Um jovem cristão passou um ano fingindo ser homossexual, para que pudesse conhecer o ambiente em que pessoas que têm atração pelo mesmo sexo convivem, e também lidar com o preconceito contra essas pessoas.
Timothy Kurek, que foi criado em uma família cristã, tinha como hábito estar na igreja frequentemente, participar das atividades e ler a Bíblia Sagrada. Nessa rotina, diz ter aprendido que deve-se amar aos homossexuais sem concordar com sua prática.
“Amor é chegar e falar para o seu amigo gay: ‘Ei, escute, você é uma abominação e você precisa pedir perdão para ir para o céu’. Eu realmente acreditava nessa besteira“, disse o jovem à emissora ABC News.

Essa mudança de postura e o desafio de passar um ano fingindo ser homossexual surgiram quando uma amiga lésbica contou a ele que havia sido expulsa de casa pelos pais por gostar de outras meninas.
“Eu senti que Deus me deu um tapa na cara. Ela estava chorando nos meus braços e em vez de eu estar lá para ela, eu ficava pensando em todos os argumentos que eu poderia usar para convertê-la”, disse, contando que nesse ponto, se deparou com uma necessidade de compreender de forma mais profunda a angústia dos homossexuais.
Kurek, heterossexual, precisou da cumplicidade de um amigo, homossexual assumido, que topou fingir que era seu namorado. Assim, o jovem cristão “saiu do armário” e disse aos pais e amigos da igreja que era gay. Para que sua experiência fosse ainda mais imersiva, trocou de emprego e foi trabalhar como garçom em um bar frequentado por homossexuais.
A reação da mãe de Kurek não foi a melhor: “Eu preferia que um médico me diagnosticasse com câncer terminal a ter um filho gay“, escreveu ela. Os amigos também não receberam bem a “novidade” e 95% pararam de falar com ele.
Ao longo desse um ano, ele viveu uma vida oposta à sua, e essa experiência mudou sua forma de ver a questão da homossexualidade. Agora, com fim da experiência, revelou aos amigos e familiares que tudo não passava de um propósito de compreensão da questão.
“Tudo aquilo pelo qual passei é NADA comparado à experiência de qualquer gay ou lésbica“, afirmou Kurek, que está lançado o livro “The Cross in The Closet” (“A Cruz no Armário”, em tradução livre). Sua mãe, agora, se tornou uma apoiadora da causa gay, e muitos de seus amigos passaram a agir de forma diferente em relação aos homossexuais.

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Sob efeito de drogas, homem invade culto e ameaça fiéis com faca de churrasco

Sob efeito de drogas, homem invade culto e ameaça fiéis com faca de churrasco Um culto evangélico foi interrompido no último domingo por um homem, que supostamente estaria sob efeito de entorpecentes e fez ameaças aos fiéis.
O fato, registrado na cidade de Brejetuba, na região sul do estado do Espírito Santo, mobilizou as autoridades policiais locais.
De acordo com moradores do bairro onde a igreja está instalada, o homem é usuário de drogas e estaria à procura de sua ex-mulher.


Como se a situação ainda não fosse delicada o suficiente, os fiéis tentaram agredir o homem assim que as viaturas da Polícia Militar chegaram ao local e o retiraram do templo. Os policiais interviram e levaram o suspeito para a Delegacia local, onde foi constatado que ele já colecionava outras passagens pela Polícia.

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

“Os Dez Mandamentos” vence “Jornal Nacional” dando liderança isolada a Record


Os Dez Mandamentos, a novela bíblica da Rede Record, continua surpreendendo em todo o Brasil com o alto índice de audiência que não para de crescer. O grande destaque desta audiência vai para a cidade de Belém, no Pará, onde o folhetim de Viviam de Oliveira continuamente alcança a liderança isolada, ou seja, deixando a TV Globo para trás.No mês de julho, por exemplo, O Dez Mandamentos, foi líder e superou a Globo, que no horário exibe o “Jornal Nacional”, e o SBT, com a reta final da novela “Chiquititas”. A informação é do jornal O Estado de São Paulo desta sexta-feira (14).

A Record consolidou no mês inteiro um total de 21 pontos de média, um ponto a mais do que a Globo, que é líder em todo o Brasil, mas que fechou na vice com 20 pontos na região.
Pela primeira vez na história da TV Brasileira, que uma novela fora da TV Globo conquista uma das 15 praças de mediação do ibope. Para você ter uma idéia, cada ponto do ibope em Belém, equivale a 6.275 domicílios, esses dados são consolidados e servem como referência para o Mercado Publicitário, ou seja, a TV do bispo Macedo está cada vez mais faturando através da trama baseada na Bíblia Sagrada.


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Pastor convoca fiéis para oração do "zap zap" e faz sucesso na internet


Um momento do culto ministrado pelo Pastor Daniel Glória, da Igreja Evangélica Filadélfia Petencostal, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, chamou atenção não só dos fiéis presentes, mas de mais de 2 milhões de pessoas. Era a chamada “Oração do Zap Zap”, uma prece em que o religioso convoca os presentes a depositarem seus celulares sobre uma mesa, com o objetivo de “evitar a chegada de notícias ruins pelo WhatsApp”, aplicativo de troca de mensagens instantâneas.




A oração foi registrada em vídeo, publicado na página de Daniel no Facebook. Em menos de uma semana, a publicação já foi compartilhada por mais de 50 mil pessoas e visualizada por mais de 2,2 milhões de internautas. O sucesso, para o pastor, foi inesperado, mas o agradou. Ele acredita que a mensagem que foi passada aos pouco mais de 50 fiéis que compareceram ao culto se espalhou pelos milhões que assistiram ao vídeo.



— Na realidade eu não esperava essa repercussão. Eu quis fazer um ato de fé. Foi um culto que começou com pouca gente. Chegaram duas, três senhoras, pensei que não ia ter muita gente. Foram umas 50 pessoas, no total. Decidi fazer isso e foi algo de Deus. Uma resposta divina para essa crise que está acontecendo no Brasil e no mundo — conta o pastor.

Segundo o religioso, a ideia de fazer a “Oração do Zap Zap” surgiu quando ele percebeu que as pessoas estavam ficando muito assustadas com a quantidade de notícias ruins que chegavam pelo aplicativo. Ele acredita que com a oração e o pensamento positivo, o aplicativo pode trazer mensagens boas.

— Ao receberem uma ligação ou uma mensagem pelo celular, as pessoas ficam amedrontadas e assustadas com o que pode estar acontecendo, porque hoje em dia acontece uma avalanche de notícias ruins. Nada melhor que juntar a fé das pessoas e focalizar nisso, para que o aplicativo também pode trazer notícia boa. Antigamente, diziam que notícia ruim vinha a cavalo. Hoje vem pelo “zap zap”. Não precisa ser assim — diz Daniel.

O pastor contou que pretende repetir a oração nos próximos cultos e em outras igrejas que o convidarem. Pelo WhatsApp, ele também ajuda fiéis com mensagens positivas. Após o sucesso do vídeo, a lista de contatos do religioso cresceu bastante.


quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Fiel tenta reproduzir jejum de Jesus no deserto e é encontrado morto após 30 dias

Fiel tenta reproduzir jejum de Jesus no deserto e é encontrado morto após 30 diasUm homem de 73 anos de idade resolveu que tentaria reproduzir a peregrinação solitária de Jesus pelo deserto e jejuar e orar por 40 dias, mas a iniciativa não foi bem-sucedida e ele terminou morrendo.
O corpo de Khulu Reinfirst Manyuka, um cristão zimbabuano, foi encontrado no deserto cerca de um mês depois do início de sua jornada, por um homem, que chamou a Polícia.
As investigações sobre a morte do fiel ainda estão em andamento, e os detalhes permanecem “obscuros”, de acordo com um porta-voz da Polícia. De acordo com informações de uma emissora de rádio local, os parentes de Manyuka afirmaram que ele tinha saúde e força física fora do comum para uma pessoa de sua idade, e que era uma pessoa “muito espiritualizada” e que “sua fé podia mover montanhas”. 

As autoridades relataram que tem havido um aumento no registro das mortes por jejum, porém, destacaram que “não podem impedir o povo de jejuar”. “É lamentável que ele tenha morrido dessa maneira”, disse outro familiar, comentando o caso. O jejum de Jesus no deserto foi um período de provação a que ele se submeteu antes de iniciar seu ministério. A Bíblia descreve o período como uma circunstância extrema de superação das tentações.

Atualmente, estudiosos divergem sobre as possibilidades de um jejum no deserto, pelo período de 40 dias. Para muitos, a descrição é literal, enquanto outros sugerem que o Filho de Deus não tenha adotado uma abstinência completa de comida e água, segundo informações do Christian Today.
O fato é que a falta de orientação e o desejo de muitos fiéis tem levado a situações como a que Manyuka se submeteu, e o resultado de um período tão longo de jejum é fatal.



terça-feira, 18 de agosto de 2015

Vídeo: casal de “evangelistas” sai nu às ruas para anunciar a volta de Cristo e vai parar na delegacia


Vídeo: casal de “evangelistas” sai nu às ruas para anunciar a volta de Cristo e vai parar na delegacia



Um casal de “evangelistas” saiu às ruas para anunciar a volta de Jesus Cristo, mas a pregação da boa nova não foi o que chamou a atenção, e sim, a falta de roupas. Os peladões foram filmados por moradores de um bairro de São José dos Pinhais (PR) e terminaram detidos pela Polícia Militar.


A dupla de pregadores saiu pela cidade da região metropolitana de Curitiba sem vestir absolutamente nenhuma peça de roupa, e batiam de porta em porta distribuindo folhetos e dizendo às pessoas para se converterem a Jesus Cristo.

Ao anunciar a volta do Filho de Deus, o casal nu se dizia pronto para o que viesse pela frente. Um dos moradores tentou alertá-los educadamente sobre a questão das roupas, e disse que poderiam ser presos por atentado ao pudor, mas a resposta dos “evangelistas” foi bastante segura: “Se tivermos que pagar o preço, a gente vai pagar. Jesus não pagou na cruz? Então, não se preocupe”, diz a senhora, nua.

O polêmico passeio terminou numa delegacia, depois que uma viatura da PM foi ao bairro por onde eles circulavam. Ouvidos, os dois foram liberados posteriormente, segundo informações do site Paraná Online.

Um morador da vizinhança filmou a caminhada “ao natural” do casal e enviou o vídeo ao programa 190, da Rede CNT. “Segundo quem presenciou, o casal parecia estar pouco importando com o que os outros iriam pensar. Eles percorreram algumas ruas de um bairro da cidade e pararam quem puderam para falar sobre Jesus. Eles pedem para que as pessoas aceitem Jesus, pois ele está voltando”, escreveu o jornalista Lucas Sarzi.Assista ao vídeo e confira o “evangelismo” do casal (as imagens foram distorcidas para não expor os órgãos genitais):


segunda-feira, 17 de agosto de 2015

O TEMOR DE UMA GERAÇÃO CORROMPIDA

Muitas vezes quando falamos sobre profecias bíblicas observamos um grande temor por parte das pessoas. O que acontece no mundo aponta para o cumprimento da Palavra de Deus na nossa geração.





Ainda não se cumpriu a totalidade das profecias, no entanto:

haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e NA TERRA ANGÚSTIA DAS NAÇÕES, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. (Lc 21:25)

HOMENS DESMAIANDO DE TERROR, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas. (Lc 21:26)

SOCIEDADE CORROMPIDA, DINHEIRO, PRAZERES E EGOÍSMO

Nunca se observou uma sociedade tão corrompida como esta, nela se observa erroneamente a crença de que o homem pode realizar qualquer coisa por conta própria.

CORRUPÇÃO DOS ÚLTIMOS TEMPOS

SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. (II Timóteo 3:1)

Homens egoístas:

Pois os homens serão amantes de si mesmo, amantes do dinheiro, prepotentes, arrogantes, maldizentes, desobedientes aos pais, ingratos, irreconciliáveis, caluniadores, sem autodomínio, brutais, traiçoeiros, irresponsáveis, vaidosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus... “(2 Timóteo 3:2-4)


TEMPO DA VOLTA, TEMPO DOS SINAIS

Sinais e angústia entre as nações:

A bíblia declara que não podemos conhecer o dia nem à hora exata da vinda do senhor, (Mt 25:13), no entanto as escrituras nos deixa claro que podemos conhecer os sinais desse tempo.
Disse Jesus:

Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem à hora em que o Filho do homem há de vir. (Mt 25:13)

Vigiar e orar são as palavras de ordem! QUEM ORA E VIGIA CONHECE OS SINAIS:

Diz a palavra:

"Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima." (Lucas 21: 28)


Fontes:http://igrejafundamentalistacern.blogspot.com.br/ http://apocalipseem2010.blogspot.com.br