quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Cantora presa sob suspeita de matar o marido é solta e diz que viu “a mão de Deus” na prisão

Cantora presa sob suspeita de matar o marido é solta e diz que viu “a mão de Deus” na prisãoA cantora Tania Levy, 38 anos, passou dois meses presa sob a acusação de ser a responsável pela morte do marido, o guarda municipal Eliel Silveira Levy, em 2013. No último dia 17 de setembro ela conseguiu um habeas corpus da Justiça e vai aguardar as investigações em liberdade.

Em uma entrevista ao portal G1, a cantora contou que os dois meses em que ficou presa foram de extrema provação: “Foram dias muito difíceis. Eu tive que ficar por dez dias em um local onde a porta era fechada e só meus olhos e minhas mãos podiam ser vistos, mas antes desse tempo acabar, decidiram abrir a porta e eu não precisei mais ficar trancada sem ver ninguém”, contou.

20 Kg mais magra, Tania disse que precisou se apoiar na fé e, em compensação, ouviu de Deus que em breve estaria livre: “Eu vi a mão de Deus, ele me deu um aviso de que eu poderia me apoiar nele mais ainda, e que eu seria solta em breve”, disse a cantora, que durante o período na prisão ficou na Cadeia Pública de Santa Bárbara d’ Oeste e na Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu, ambas no interior de São Paulo.

De acordo com a advogada da cantora, Manuela Guedes, a Polícia Civil trabalha com a hipótese de crime passional, por causa da descoberta de uma traição do marido: “A relação existiu sim, meu marido teve um caso com uma mulher, mas eu perdoei, eu entendi as razões dele, eu amava meu marido, eu jamais mataria meu marido por qualquer motivo que seja. Eu não merecia estar sendo acusada. Não entendo por que estão me acusando”, afirmou Tania.

Em sua defesa, Tania revelou – sem abrir detalhes para a imprensa – que seu marido havia se envolvido em crimes, e que sua morte seria resultado disso. “Ele se envolveu com o crime, inclusive já havia sido preso duas vezes. Tinha gente que queria matá-lo. Eu fiquei com medo de ser alvo desses criminosos também […] A polícia também tem que trabalhar com essa hipótese. Meu marido tentou esconder esse envolvimento com o crime, mas acabei descobrindo”, teorizou.

Agora, Tania quer se dedicar a provar sua inocência e, quando estiver livre de acusações, quer retomar a carreira: “Eu acredito naquilo que eu canto. Eu louvo a Deus porque foi assim que eu fui criada. Eu sou assim. Nós temos que ser aquilo que a gente prega, assim nós podemos ajudar as pessoas também. Tive medo, mas depois decidi seguir em frente por ter a certeza de que eu sou inocente e de que mais cedo ou mais tarde o culpado vai aparecer”, disse. “Eu não deveria ter sido presa porque eu quero ajudar nas investigações. Eu não matei ninguém e vou tentar provar isso”, concluiu.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Cristão é demitido após compartilhar filme que fala sobre homossexualidade com colega lésbica

Cristão é demitido após compartilhar filme que fala sobre homossexualidade com colega lésbicaUm cristão que sugeriu um filme sobre a homossexualidade a uma colega de trabalho lésbica perdeu seu emprego por compartilhar sua fé.

Chris Routson trabalhava há treze anos na empresa Precision Strip, na cidade de Middletown, em Ohio (EUA), e terminou desempregado sem direito a indenização por causa da sugestão do filme “Audacity”, um documentário produzido pelo cineasta Ray Comfort.

Routson contou ao Christian Post que desde que se converteu, há quatro anos, tem o hábito de falar sobre o amor de Deus aos colegas de trabalho, independentemente de quem sejam ou de qual sejam suas crenças.

A colega de trabalho lésbica havia sido contratada há cerca de um ano, e Routson afirmou que ainda não havia tido oportunidade de compartilhar sua visão do Evangelho com ela, mas que tinha convicção de que cedo ou tarde falaria de Jesus.

Quando assistiu a “Audacity”, Routson sentiu que seria uma boa opção de sugestão à colega. O filme, que teve o trailer censurado pelo YouTube, mostra o produtor do filme conversando com pessoas diversas sobre homossexualidade, e expondo argumentos de que a atração por alguém do mesmo sexo não é algo definitivo.

“Na semana em que ‘Audacity’ saiu, eu compartilhei com ela através do chat de mensagens pessoais, e ela já era minha amiga no Facebook. Então eu não forcei ela. Eu apenas disse: ‘Ei, veja isso'”, relatou Routson.

Dias depois, ele notou que outros colegas de trabalho estavam em círculo, ouvindo um relato da colega lésbica, quando seu chefe o chamou ao escritório e o repreendeu: “Eles estavam dizendo que eu não poderia fazer isso, mas eu nunca vi nada me alertando que eu não podia”, defendeu-se.

No dia seguinte, outra mulher homossexual foi contratada, e Routson não se intimidou pelo que havia acabado de acontecer, e compartilhou sua crença com ela. “Nós estávamos falando sobre o Evangelho e eu compartilhei minha fé com ela. Ao mesmo tempo, eu falei sobre o filme ‘Audacity’. Nesse momento, alguns dos rapazes que eram meus inimigos lá, convenceram ela a tentar me despedir, e foi o que aconteceu”, contou.

Ele foi demitido dias depois, sob a alegação de que estava constrangendo os colegas de trabalho. Indignado, recorreu à Christian Law Association (“Associação Cristã de Leis”, em tradução livre) para receber orientação sobre como proceder nesse caso: “Se você estiver em uma situação onde você está sendo demitido ou você vai ser perseguido por sua fé, não tenha medo do homem, sempre tema ao Senhor. Não importa o que aconteça, confie o resultado a Deus, ao invés de tentar pensar sobre como podemos impedir que isso aconteça”, concluiu Routson.

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Confirmada em A Fazenda, Mara Maravilha diz que “queria muito participar” do reality show

Confirmada em A Fazenda, Mara Maravilha diz que “queria muito participar” do reality showA cantora Mara Maravilha confirmou que irá participar da nova edição do reality show A Fazenda, que a Record exibe a partir de hoje, 23 de setembro.

Na última segunda-feira Mara participou do programa Xuxa Meneghel e disse que via no reality uma oportunidade de se apresentar novamente ao público: “Eu estou preparada para recontar a minha história […] Eu queria muito participar d’A Fazenda. Eu assisto A Fazenda, eu acho que é uma ótima oportunidade”, afirmou a cantora, destacando que sempre teve interesse em estar no elenco.

Na entrevista concedida a Xuxa, Mara Maravilha disse que irá “vigiar” para não se expor de forma vulgar no programa, conhecido pelos diversos casos de participantes seminus durante os banhos.

A cantora também contou que em breve se tornará mãe, pois adotará um menino, a quem quer chamar de Gabriel: “Ele já existe, só falta a gente se encontrar. Eu vou ser mãe de coração”, disse.


A participação de Mara em A Fazenda vem sendo especulada há anos. Meses atrás, o jornalista Léo Dias cravou a informação que na edição deste ano a cantora estava garantida, após assinar um contrato de R$ 60 mil, pagos em duas vezes, com direito a participação nos merchandisings que fizer ao longo do programa. Além disso, ela concorrerá ao prêmio máximo do programa, que é de R$ 2 milhões.

Ela teria sido aconselhada a fazer uma mudança de visual e um pedido de desculpas aos homossexuais por causa de suas declarações contrárias ao casamento gay, feitas tempos atrás. A iniciativa seria uma precaução para evitar uma antipatia pré-estabelecida contra ela, já que o voto do público é decisivo no programa.

domingo, 27 de setembro de 2015

Nos Estados Unidos, papa Francisco vê ONGs cobrarem postura mais firme contra a pedofilia

Nos Estados Unidos, papa Francisco vê ONGs cobrarem postura mais firme contra a pedofiliaA visita do papa Francisco aos Estados Unidos vem sendo marcada por protestos de Organizações Não-Governamentais (ONGs) que denunciam e cobram uma resolução dos casos de pedofilia na Igreja Católica.

De acordo com essas ONGs, o papa estaria agindo de maneira negligente quanto aos casos de pedofilia.

“O papa nega o quão sério é o problema e minimiza a situação. Ele nega que crianças continuam sendo violadas”, afirmou Barbara Blaine, em entrevista à BBC. “Na verdade, ele nem deveria se ocupar disso, deveria mandar os casos para que a polícia investigasse”, sugeriu.

Barbara é a fundadora da ONG SNAP (sigla de Survivors Network of those Abused by Priests, que significa, em tradução livre, “rede dos sobreviventes abusados por padres”), que reúne vítimas e foi criada no final dos anos 1980.

Considerando que as ações tomadas por Francisco contra a pedofilia, como a expulsão de sacerdotes, são insuficientes, Barbara afirmou que as pessoas que integram o movimento contra a pedofilia esperam que o papa fale sobre o assunto quando discursar na sede da Organização das Nações Unidas (ONU) na próxima sexta-feira, 25 de setembro.

Na última quarta, em pronunciamento feito na Catedral de São Mateus Apóstolo, em Washington, o papa exigiu que os bispos americanos trabalhem para que esse tipo de escândalo não volte a assombrar a Igreja Católica nos Estados Unidos: “Eu sei quanto a dor dos últimos anos pesou em vocês, e eu apoiei seu generoso comprometimento em levar a cura para as vítimas, e trabalhar para assegurar que tais crimes nunca se repitam”, comentou, resumidamente.

Até hoje, os casos de pedofilia que ganharam as manchetes ao longo dos últimos anos, são vistos como uma mancha na história recente da Igreja Católica, que vem lutando para desfazer a imagem negativa construída ao longo da Idade Média.

sábado, 26 de setembro de 2015

Vídeo de pastor que cospe na boca de fiel durante culto causa polêmica entre evangélicos; Assista

Vídeo de pastor que cospe na boca de fiel durante culto causa polêmica entre evangélicos; AssistaUm vídeo de um pastor que cospe na boca de um fiel durante um culto a título de curá-lo se tornou viral nas redes sociais, com diversos canais do YouTube republicando o material, sempre com títulos que exclamam a incredulidade diante das cenas.

No culto, uma fila de pessoas aguarda oração em frente ao altar do templo, e o pastor, fala aos fiéis aos berros. Ao tomar um gole do copo d’água que segurava, o pastor abre a boca do primeiro na fila e cospe dentro, jogando o restante do líquido sobre sua cabeça.

A cena, inédita e sem base bíblica, vem sendo classificada como bizarra por muitos internautas. “Pastor lobo enganando e conduzindo muitos para o inferno”, escreveu um usuário do YouTube nos comentários de um dos canais que publicou o vídeo.

“Eu vejo que as pessoas não gostam de comentar vídeos com esse teor pois são ignorantes quanto às Escrituras! isso é um ritual pagão, disfarçado de Evangelho! Além de falta de higiene! […] Será que quem pratica esses rituais está preocupado, de verdade, em ensinar o caminho da salvação a alguém?”, questionou outro internauta.

A repercussão do vídeo foi tão intensa que portais como iG e O Dia publicaram notas em suas páginas. “O vídeo de um pastor cuspindo na boca de um fiel durante um culto evangélico tem impressionado e chamado a atenção dos internautas”, informou o site Último Segundo.

“É cada igreja estranha q vem surgindo que dá até medo”, resumiu um usuário da plataforma de vídeos. Mas, dentre as inúmeras críticas, teve quem defendesse o rito: “Loucura pro incrédulo mas a Glória de Deus pros crentes. Deus usa quem quer e da maneira que quiser”, escreveu um dos que visualizaram o vídeo.




sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Professora é perseguida por ateus por usar cruz durante aula para ilustrar a perfeição de Deus

Professora é perseguida por ateus por usar cruz durante aula para ilustrar a perfeição de DeusA iniciativa de uma professora cristã para ensinar aos alunos que ninguém é perfeito, atributo esse que é exclusivo de Deus, gerou uma enorme polêmica e acusações de proselitismo contra ela por parte de ativistas ateus.

Conhecida como dona Sanromán, a professora usou uma cruz em sala de aula para demonstrar que a perfeição só pode ser encontrada em “nosso Senhor”. Um aluno contou ao pai sobre a matéria e ele, ateu, resolveu agir contra a professora.

O homem recorreu à Associação Americana Humanista (AHA na sigla em inglês), uma entidade ateísta que se dedica a contrapor as instituições religiosas.

A AHA enviou uma carta ao distrito escolar (espécie de diretoria regional de ensino) da cidade de Brownsville, no Texas (EUA) acusando a professora de tentar fazer os alunos prosélitos de sua fé.

“Os alunos não-cristãos e suas famílias não devem se submeter ao proselitismo cristão no que deveria ser uma escola pública secular”, afirmou David Noise, diretor jurídico da AHA, segundo informações do Christian Headlines.

Não se sabe qual atitude será tomada pelos responsáveis pelo distrito escolar, mas manifestações a favor da professora já foram registradas.

A colunista do Christian News, Heather Clark, lamentou que os princípios cristãos foram rompidos nos Estados Unidos: “As coisas estão realmente diferentes agora em comparação com antes, quando foram promulgadas leis que incentivavam as pessoas a aprender a ler com a Bíblia”, pontuou, referindo-se à lei “The Old Deluder Satan Act” (“Ato do velho enganador satanás”, em tradução livre), que exigia o ensino da leitura às crianças para que elas pudessem ler a Bíblia Sagrada e se manter informadas.

Heather lembrou ainda que no século passado, uma cartilha chamada “The New England Primer” (“A cartilha da Nova Inglaterra”, em tradução livre) era usada para a alfabetização e sugeria o uso das Escrituras para essa fase do aprendizado.