sábado, 3 de outubro de 2015

A primeira operadora evangélica do mundo foi lançada no Brasil

Mais AD foi criada pela Assembleia de Deus para facilitar a comunicação entre os irmãos e propagar a Palavra via redes sem fio


http://s2.glbimg.com/EhanIFUuP6cOzAEEF21XAVHr2LI=/e.glbimg.com/og/ed/f/original/2015/10/01/claudia.jpg 
A sorridente Cláudia Cézar, uma das primeiras vendedoras, está ansiosa para começar a vender os chips (Foto: João Mello Bourroul)

Milhares de homens de terno, barba bem feita e bíblia em cima do colo levantam os braços e gritam amém. Faz calor e não é possível encontrar uma única mulher entre os cinco mil cocurutos masculinos que se espalham pelos bancos do templo. “Nós esperamos, amados, que a Mais AD seja uma benção para todos nós!”, diz o pastor, um senhor de semblante curvado e aspecto frágil. Uma salva de palmas formaliza o fim do culto e dezenas de pessoas de colete azul são convidadas a subir ao palco e tirar uma grande foto com o pastor, que permanece atrás do púlpito. O pastor em questão é José Wellington Bezerra da Costa, presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, e as pessoas de colete azul são os primeiros vendedores da Mais AD, a única operadora de celular destinada aos membros da Assembleia de Deus.


O anúncio foi feito nessa quinta-feira (1) em um templo no bairro do Belém, zona leste de São Paulo. A ideia da Mais AD, sintetizada no slogan “Deixe a fé falar mais alto”, é aproveitar o entrosamento do povo brasileiro com tablets e smartphones para evangelizar através das plataformas digitais. “Admiro o pastor por ter colocado a Assembleia de Deus dentro da revolução tecnológica”, disse à GALILEU Raul Aguirre, diretor-geral da nova operadora. 
Analisando os números, a Mais AD parece ser aquele tipo de coisa que não tem como dar errado. “Todos os municípios do Brasil têm uma Assembleia de Deus. E quase todas as vilas também”, afirma o pastor José Wellington. O número de membros da Assembleia varia entre 18 e 25 milhões de brasileiros, dependendo de quem fornece o dado – ao todo são cerca de 40 mil templos em território nacional. A equipe inicial é formada por sete supervisores e 45 vendedores em stands exclusivos – aqueles do colete azul –  todos membros da igreja. Além disso, haverá 400 colaboradores voluntários que farão a venda dos chips de porta em porta. É irmão vendendo para irmão. 

Uma dessas vendedoras é a gestora de RH Cláudia Cézar, de 35 anos. Cláudia frequenta a igreja desde criança e começou a se interessar pelos cultos por causa do pai. “É legal porque estou usando uma ferramenta da religião que acredito, é como se eu vestisse a camisa da empresa em que eu trabalho”, explica. “Meus amigos da igreja também vão comprar o chip, isso vai ser fácil”. 

O chip custará R$ 9,90 e os pacotes mensais saem a partir de R$ 19,90 (pacote de internet de 400MB) e vão até R$ 24,90 (600MB). Quem compra o chip pode acessar serviços pensados exclusivamente para esse público: calendário interativo de eventos, endereço das congregações, resumo de notícias diárias, mensagens evangelizadoras, testemunhos inspiradores de outros clientes e até pedidos de oração para que um pastor reze por um determinado desejo ou necessidade do portador do chip. “Dá mais confiança pra gente na hora de acessar os conteúdos”, diz Cláudia.

Os chips começam a ser vendidos no dia 5 de outubro e a projeção da Mais AD é ambiciosa: conseguir um milhão de usuários já no primeiro ano e, até 2025, ser a maior operadora de telefonia móvel do país, superando inclusive a própria Vivo, empresa que credencia os serviços prestados pela mais AD. O valor do investimento para a criação da empresa não foi revelado, mas uma coisa é certa: não há restrições para quem é de fora da congregação. “Isso é um comércio”, finaliza o pastor José Wellington com um sorriso no rosto.

Fonte: http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2015/10/primeira-operadora-evangelica-do-mundo-foi-lancada-no-brasil.html

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

“Nuvem do arrebatamento”: fenômeno levou internautas a crerem que Jesus estava voltando; Assista

“Nuvem do arrebatamento”: fenômeno levou internautas a crerem que Jesus estava voltando; AssistaUm fenômeno raro e belíssimo da natureza levou muitos cristãos costarriquenhos a acreditarem que estavam presenciando a volta de Jesus Cristo na última semana.

A formação de uma nuvem multicolorida, influenciada pela refração da luz solar por gotículas de água e cristais de gelo, chamada pela ciência de “nuvem iridescente”, causou alvoroço na população local, e como não poderia deixar de ser nos dias atuais, invadiu as redes sociais com inúmeras teorias.
Logo após a publicação das primeiras fotos e vídeos, muitas pessoas passaram a se referir ao fenômeno como a “nuvem do arrebatamento” ou “nuvem do fim dos tempos”. Aliada à impressão de que algo fora do comum estava acontecendo, a aparição da nuvem ocorreu justamente no dia em que se comemorava a Independência do país, 15 de setembro.
A repercussão foi tão intensa que emissoras de TV dos Estados Unidos noticiaram o fato e os comentários publicados em redes sociais.
Uma norte-americana que estava na cidade de Escazu e filmou a nuvem se mostrou perplexa: “Eu nunca vi nada como isso”, narrou ela. “Olhe para o céu, é absolutamente… É um tipo de sinal de Deus”, acrescentou, perdendo as palavras. O vídeo já ultrapassou a casa de 2,2 milhões de visualizações
De acordo com a rede ABC News, o meteorologista Eladio Solano, que trabalha no Instituto Nacional de Meteorologia da Costa Rica, confirmou que tratava-se de uma “nuvem iridescente” e tranquilizou as pessoas.
Dentre as diversas teorias a respeito nas redes sociais, haviam especulações de que a nuvem espetacular seria um rastro de objetos voadores não-identificados (OVNI’s), ou a aparição de seres extraterrestres.

Assista ao vídeo gravado por uma testemunha da “nuvem iridescente”:





 Outra imagem fotografa de um angulo diferente
 Nuvem fotografada de outro ângulo e publicada no Instagram

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Cachê de R$ 200 mil para André Valadão gravar DVD em cidade pobre gera polêmica

Cachê de R$ 200 mil para André Valadão gravar DVD em cidade pobre gera polêmicaA gravação de um DVD em uma cidade que atravessa problemas financeiros gerou uma enorme polêmica e críticas ao cantor André Valadão. O evento, que será realizado no próximo sábado, rendeu ao artista um cachê de R$ 200 mil.
A cidade de Cabo de Santo Agostinho, no litoral sul de Pernambuco, é bastante pobre e, como todo o país, atravessa um momento delicado financeiramente, com anúncios de medidas de contenção de gastos, corte no salário dos funcionários comissionados e outras ações.
De acordo com informações do Diário Oficial dos Munícipios do Estado de Pernambuco, a negociação entre André Valadão e a prefeitura da cidade foi intermediada pela produtora Amando Vidas, sediada em Londrina (PR) e que deverá ficar com parte do valor acertado em contrato.
O DVD que será gravado no próximo sábado, 26 de setembro, vai ser lançado com o título “Crer Para Ver”. No site oficial de André Valadão, há a confirmação do evento na agenda do cantor.
“A contratação gerou controvérsias, não só pelo exorbitante valor pago ao cantor, mas pela atual situação da cidade. Cabo de Santo Agostinho passa por uma crise financeira […] No entanto, a contratação de André Valadão foi divulgada no Diário Oficial, e foi feita em regime de inexigibilidade de licitação, ou seja, não passou por licitação pública”, informou Mariana Gouveia, do site Consciência Cristã.
O presidente da Câmara Municipal de Santo Agostinho, vereador Mário Anderson da Silva Barreto (PSD), criticou a decisão tomada pelo prefeito Vado da Farmácia (PTB), afirmando que houve incoerência: “Na verdade, o prefeito exonerou alguns cargos comissionados de baixo escalão, porém nomeou outros em níveis mais altos e promoveu alguns, fazendo com que tais medidas se tornassem inócuas. O pior é que o prefeito demitiu mais de quarenta médicos e dentistas, debilitando ainda mais o sistema de saúde do município, que é tocado por um professor e agente de polícia, que nada entende da pasta”, disparou, segundo informações do Blog do Janildo, do portal UOL.
O vereador acrescentou ainda que as despesas da prefeitura não se resumem ao pagamento do alto cachê ao cantor: “Para contrastar ainda mais e provar que não há crise, é que o prefeito está gastando mais de R$ 400 mil para que o cantor gospel André Valadão grave o seu DVD em nossa cidade, sendo R$ 200 mil só de cachê”, criticou.
Há a promessa, por parte de Barreto, de que a polêmica se estenda ainda mais, pois ele irá pedir que o Ministério Público (MP) de Pernambuco e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) investiguem o contrato e a origem das verbas.
A prefeitura afirmou em nota que a contratação de André Valadão para a gravação de um DVD na cidade desempenha papel importante no “aquecimento do comércio local, da rede hoteleira e da potencialização do turismo, além de divulgar o município dentro e fora do país”, acrescentando que a expectativa é que a cidade receba em torno de 40 mil visitantes no dia do evento.
Confira o anúncio da contratação de André Valadão no Diário Oficial:
diario oficial cabo de santo agostinho - andre valadao
Na agenda do site oficial do cantor, também há confirmação de participação no evento: