sábado, 6 de fevereiro de 2016

Morris Cerullo quer construir “Disneylândia cristã”

O televangelista Morris Cerullo, famoso por suas cruzadas de cura e pregação da prosperidade está fazendo um investimento inusitado. Morador de San Diego, Califórnia, ele comprou ano atrás um hotel que havia falido na cidade vizinha de Mission Valley.
Agora, anunciou que vai deixar um “legado espiritual” transformando o local em uma espécie de “Disneylândia cristã”. O projeto prevê uma viagem virtual a Jerusalém e às catacumbas de Roma, tudo com a ajuda de hologramas. Também será construída uma réplica do Muro das Lamentações e um museu interativo da Bíblia.
A aposta do pregador é que os turistas religiosos gostariam de fazem uma “viagem no tempo e no espaço” sem precisar sair do país.

O projeto tem um custo de US$ 125 milhões e ainda precisa da aprovação do Conselho Municipal de San Diego. A ideia é começar este ano a reforma do local de 18 acres do antigo hotel e oferecer um resort de luxo. Cerullo acredita que poderá atrair 400.000 visitantes por ano. E muitos deles, buscando entretenimento poderão conhecer o evangelho, diz o material divulgado pelo seu ministério.
No cento da propriedade haverá um teatro que contará com assentos que se movem de acordo com os efeitos sensoriais da apresentação, que simula vento, neve e nevoeiro. Similar ao que já existe em viagens virtuais em parques temáticos. As atrações ainda estão sendo criadas, mas todas estarão relacionadas com a Bíblia ou a história do cristianismo.
Jim Penner é o diretor-executivo do Morris Cerullo Legacy Center, nome escolhido para batizar o empreendimento. “É um modelo de negócio, focado em temas religiosos em vez de temas seculares. Estamos apenas criando algo voltado para diversão”, resume.

Cerullo já tentara abrir um parque temático cristão no início da década de 1990, mas teve problemas com os sócios e o empreendimento faliu. Aos 84 anos de idade, o evangelista acredita que o parque será uma maneira de preservar seus ensinamentos depois que ele “se for”. Seria uma maneira de preservar o seu ministério, que ele não gostaria que acabasse com sua morte.
Após ser terminado, uma parte da propriedade abrigará os escritórios do ministério Morris Cerullo. Haverá ainda uma escola de ministério, um mini-shopping de artigos cristãos, restaurantes e um estúdio de TV com auditório de 500 lugares. O hotel contará com 127 apartamentos além de piscina, quadra e tênis e um spa completo.
A comparação com a Disney não é por acaso. Na Flórida, onde está localizado o parque da Disney World, existe um parque temático chamado “Holy Land Experience”, onde foi construída uma réplica da Jerusalém dos tempos de Jesus.
Na outra costa dos EUA, na Califórnia, fica o parque Disneyland, distando cerca de duas horas de carro do parque de Cerullo. O projeto do Legacy Center foi entregue ao Visioneering Studios, dirigido por ex-funcionários da Walt Disney Company. Com informações de San Diego Union Tribune

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Irã prepara 200 mil soldados para a chegada do “Messias islâmico”

O general Mohammad Ali Jafari, comandante da Guarda Revolucionária Islâmica, afirma que o Irã já preparou cerca de 200.000 homens em todo o Oriente Médio que estariam prontos para a chegada do Mahdi. Para os muçulmanos, esse homem será um grande líder que dará “início a justiça antes do Dia do Juízo”.
Em entrevista ao jornal Turkish Daily Sabah, da Turquia, Jafari explica que a recente onda de violência e o que ocorre atualmente na região, incluindo a ascensão do Estado Islâmico e outros grupos extremistas, são sinais que a chegada do messias muçulmano é iminente.
“Os eventos que ocorreram nos últimos anos estão preparando o terreno para o surgimento de Imã Mahdi. Segundo o Middle East Monitor, esse “exército” reúne jovens na Síria, Iraque, Afeganistão, Paquistão e Iêmen.
Na tradição islâmica, há uma “profecia” de Maomé, feita no século sétimo sobre isso. Mas ela recebe diferentes interpretações. Os muçulmanos xiitas defendem que o mahdi se levantará após um período de violência generalizada e instabilidade.

Ele estabelecerá a justiça e liderará um evento similar ao “Armagedom” descrito na Bíblia, uma batalha final entre o bem e o mal.  Alguns teólogos cristãos têm afirmado que esse líder muçulmano seria o anticristo bíblico.
O fato de o Irã estar cada vez mais envolvido em diversas frentes de combate no Oriente Médio, inclusive na Síria, onde as forças da Guarda Revolucionária têm lutado para apoiar o presidente Bashar Assad.
Também estão presentes no Iêmen, onde apoiam os houthis que lutam contra o governo atual, aliado da Arábia Saudita. Nos dois casos, os resultados das guerras poderá ser o estopim para um conflito de proporções mundiais, pois envolvem forças americanas, russas e aliados de ambos.
O Oriente Médio enfrenta uma tensão crescente nas últimas semanas, principalmente após a Arábia Saudita, um país de maioria sunita, ter executado um clérigo xiita popular no Irã.  O imbróglio gerou o corte de laços diplomáticos da Arábia com o Irã.
Quem é o mahdi?

Semelhantemente a teologia cristã, o islamismo possui uma versão sobre o final do mundo.
Em seu livro Islam: The Cloak of Antichrist [Islã: O Manto do Anticristo], o autor Jack Smith afirma que o Alcorão prediz que Jesus (chamado por eles de Issa) descerá do céu e vai unir forças com o Messias profetizado pelo Islã, chamado de “Mahdi”. Jesus, então, afirmará que o Islã é a única fé verdadeira e criticará os cristãos por terem erroneamente feito dele o Filho de Deus.
A teologia muçulmana xiita afirma que grandes guerras devem ocorrer na Terra, durante as quais um terço da população mundial irá morrer em combate e outro terço por causa da fome e da violência. Israel deve ser destruído para que então o 12 º imã, chamado de Mahdi, apareça para matar todos os infiéis, levantando a bandeira do Islã em todos os cantos do mundo.
Os líderes do Estado Islâmico, que já conquistaram partes da Síria e do Iraque, insistem que estão se preparando para a “batalha final” entre o bem e o mal, que contará inclusive com Jesus Cristo voltando a Terra para se juntar a sua causa.
Atualmente, mais de dois terços do um bilhão de muçulmanos que vivem no planeta esperam que o Mahdi venha logo, indica uma pesquisa recente do Instituto Pew Research.
O Estado Islâmico já está marcando a data para a “guerra do fim do mundo”. Além disso, líderes muçulmanos têm anunciado a volta de Issa (Jesus) e a iminente chegada do Mahdi.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Pastor Saeed Abedini conta que a oração foi sua arma na prisão: “Orava até 20 horas por dia”

O pastor Saeed Abedini falou pela primeira vez após desembarcar nos Estados Unidos, e contou que a oração foi sua aliada para suportar as torturas e privações a que foi submetido no tempo em que foi mantido preso no Irã.

Em entrevista à emissora Fox News, Abedini contou que, ao longo dos mais de três anos que foi mantido na cadeia, as autoridades iranianas tentaram fazê-lo assinar confissões de crimes que ele não havia cometido, mas ele se recusou todas as vezes.


“Em um dos interrogatórios, eles me espancaram com muita força”, disse, referindo-se ao dia em que terminou com uma hemorragia estomacal. A tortura física era acompanhada também de pressão psicológica, pois os carrascos diziam que ele seria espancado até a morte, e se sobrevivesse, quando fosse liberado ainda seria acompanhado de perto pela polícia.

Questionado sobre os motivos que o levaram a ser preso no Irã, Abedini reiterou que não haviam razões além de sua fé e seu trabalho social/missionário no país. Mesmo agora, o governo sustenta que o pastor estaria usando “o cristianismo para tentar prejudicar a nação do Irã” através de espionagem para os Estados Unidos.


Revelando detalhes dos anos na prisão, Abedini frisou que a forma que encontrou para fazer o tempo passar foi orar, já que os guardas não permitiam seu acesso a livros ou qualquer outra coisa que o mantivesse entretido. “A cada dia, por horas e horas, às vezes mais de 20 horas, só orava. A melhor coisa que eu podia fazer ali era orar”, revelou.

O pastor atualmente está em uma instalação da Associação Evangelística Billy Graham, que é considerado uma espécie de retiro, onde está se readaptando à vida em liberdade, na companhia dos familiares, e com todo apoio necessário.


A repórter que entrevistou o pastor, Greta Van Susteren, afirmou que nos próximos dias irá apresentar novos trechos da conversa, onde Abedini revelará maiores detalhes de sua prisão.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Dilma convida evangélicos e protestantes para Conselhão que estuda a crise econômica do país




A presidente Dilma Rousseff (PT) adotou uma nova estratégia em suas tentativas de se livrar da crise política e econômica que assola o país, e ressuscitou o Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, apelidado de “Conselhão”, incluindo representantes evangélicos e da Igreja Católica.

A reunião do Conselhão acontecerá na próxima quinta-feira, 28 de janeiro, com a presença de nove ministros de Estado: Jaques Wagner (Casa Civil), Valdir Simão (Planejamento), Nelson Barbosa (Fazenda), Kátia Abreu (Agricultura), Armando Monteiro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Alexandre Tombini (Banco Central), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e Aloizio Mercadante (Educação), segundo informações do G1.

Dentre os representantes sociais, estão o bispo anglicano dom Flavio Borges, presidente do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), e o bispo-auxiliar de Belo Horizonte, dom Joaquim Mol. Ambos integram as alas progressistas de suas respectivas denominações, alinhados com as propostas e ideologias dos partidos de esquerda.

O CONIC é visto de maneira incógnita no meio evangélico, pois além de ser formado pelas igrejas Católica Apostólica Romana, Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Episcopal Anglicana do Brasil e Metodista, mesclando diferentes tradições históricas, não possui nenhum representante de importantes denominações, como Presbiteriana, Batista ou Assembleia de Deus.

De acordo com informações do jornalista Lauro Jardim, de O Globo, as propostas de Dilma para reativar a economia repetem a estratégia de anos atrás, com “medidas de concessão de crédito”, que levaram o país à atual situação.

“Nelson Barbosa [ministro da Fazenda], […] falará por vinte minutos. A dupla Kátia Abreu [ministra da Agricultura] e Armando Monteiro [ministro do Desenvolvimento] usará dez minutos cada um para mostrar os planos para o comércio exterior. E, finalmente, Valdir Simão, do Planejamento, fará um breve relato sobre a reforma administrativa. Deve também levar aos conselheiros uma proposta de teto para os gastos de cada ministério”, informou Jardim.

A ideia é que o Conselhão ganhe ares de representatividade popular e sirva para acalmar o mercado: “O Palácio do Planalto está apostando alto no encontro de amanhã. Quer que seja o lance inicial para a volta de uma agenda minimamente positiva na área econômica. É mais do que improvável que isso ocorra, no entanto. Paralelamente, o governo quer movimentar a tal agenda positiva fora do Conselhão. Hoje, por exemplo, o Ministério da Fazenda deve apresentar um plano para medir a eficiência dos gastos públicos nos programas sociais”, concluiu o jornalista.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Atriz Cláudia Rodrigues diz ter “entregue para Deus” seu problema de saúde e espera voltar a atuar



A atriz Cláudia Rodrigues, que fez sucesso anos atrás protagonizando a série “A Diarista”, concedeu uma entrevista falando sobre sua saúde, debilitada por conta de esclerose múltipla, e revelou ter confiado seu futuro a Deus.
Na conversa com o apresentador Geraldo Luís, da TV Record, Cláudia contou que recentemente passou por um transplante de células-tronco, numa tentativa de se curar da doença que causa problemas na fala, visão, equilíbrio e comportamento, justamente por atacar o sistema nervoso central.
“A partir do momento que eu decidi fazer o transplante, entreguei para Deus. Se o Senhor quer o meu óbito, que faça sem dor”, afirmou.
Aos 44 anos, Cláudia disse que decidiu enfrentar o tratamento de risco, com alto grau de exigência na preparação, porque acreditava ser sua única chance de reverter o quadro. “Não senti medo nenhum”, revelou.
No período de preparação, documentou todo o processo em vídeos e fotos, numa demonstração de determinação para amenizar os sintomas da esclerose múltipla e voltar a atuar.A doença, descoberta em 2007, não privou a atriz de sua profissão imediatamente. Nos últimos anos, ela chegou a interpretar a personagem Ofélia, no Zorra Total, da TV Globo, mas quando decidiu fazer o transplante, precisou ficar isolada dos amigos, da família e enfrentou as restrições.
Segundo informações do Diário Gaúcho, existe um projeto de refazer a série A Diarista assim que a atriz recuperar as condições de saúde e os médicos a liberarem para atuar. Portanto, não há prazo para que o projeto saia do papel.